Erro na Linha: #3 :: Use of undefined constant SEO_TITLE - assumed 'SEO_TITLE'
/home/sindaspi/public_html/site/sindaspisc/header.inc.php
SEO_TITLE

BLOG SINDASPI-SC


15/07/2021 | Campanha salarial da base pública

SindaspiSC tem nova reunião de negociação com a Secretaria da Agricultura

Em atendimento a uma solicitação do SindaspiSC, o Assessor Jurídico da SAR Dr. José Cesconetto recebeu o sindicato para uma reunião de negociação da Campanha Salarial 2021/2022. Segundo o negociador, o Secretário não pode participar em função de compromissos de agenda. Estavam presentes na reunião os Coordenadores Estaduais Daniel Nunes das Neves, Ezequiel Linhares da Costa e Norberto José Cidade.

O sindicato cobrou uma proposta do Governo do Estado informando que tem data definida para realização da assembleia dos trabalhadores para apreciar a proposta (21/07). Relatou ainda que a situação está ficando insustentável com o governador propagando aumento considerável para outras categorias como saúde e segurança pública e na agricultura que é responsável por um terço do PIB catarinense nenhuma sinalização.

Dr. Cesconetto descartou qualquer proposta que tenha impacto econômico no momento, inclusive informou que está negociando com os outros sindicatos a assinatura desse ACT incluindo uma cláusula compromissando a retomar as discussões econômicas em janeiro de 2022 para reposição apenas no ACT 2022/2023.  

O SindaspiSC refuta a assinatura de qualquer acordo sem reposição, pois é muito difícil apresentar esse tipo de proposta sem nem ao menos a reposição da inflação para uma categoria que recebe um Vale Alimentação que não compra nem uma cesta básica em Florianópolis, que foi avaliada em 2021 no valor de R$ 634,53 de acordo com pesquisa do DIEESE.

Em relação às cláusulas que não tem impacto financeiro, o negociador se comprometeu em avançar nesse sentido, ficando alinhado a proposição de elaborar um termo aditivo exclusivamente para às horas não trabalhadas em função da pandemia Covid-19, onde a cada hora trabalhada para saldar essas, o Estado abonaria uma hora, exercendo assim sua contrapartida cidadã para viabilizar o pagamento dessas horas, sendo que os trabalhadores não queria por liberalidade ficar em casa, mas o momento exigiu.

O sindicato informou que por zelo e cautela, assim como segurança jurídica, irá discutir em assembleia a manutenção dos 180 dias do ACT anterior, porém exige que se continue a negociação ainda desse ACT, pois a categoria já sofre com a defasagem da não aplicação da inflação do ACT anterior, assim como a não retroatividade de instrumentos passados.

Não vamos aceitar essa desvalorização por parte do Governo em relação a uma categoria que tanto contribui com o Estado de Santa Catarina.

Sindicato é cada um de nós!