Erro na Linha: #3 :: Use of undefined constant SEO_TITLE - assumed 'SEO_TITLE'
/home/sindaspi/public_html/site/sindaspisc/header.inc.php
SEO_TITLE

BLOG SINDASPI-SC


30/07/2019 | Campanha salarial da base pública

Campanha Salarial - Secretaria da Agricultura não dá resposta no prazo estipulado

No dia de ontem o Sr. Carlos Magno enviou um e-mail para a Coordenação do Sindaspi/SC dizendo que ainda não tem nenhum parecer sobre o estudo que o Grupo Gestor do Governo (GGG) iria fazer em 10 dias.

Mais uma vez os trabalhadores da base da agricultura estão à mercê desse tipo de tratamento desigual com as empresas do estado. Enquanto outras categorias com a Casan anunciam que já tem Acordo Coletivo fechado os trabalhadores da agricultura ficam esperando, demostrando total desrespeito com a base do nosso sindicato.

Segue teor do e-mail do Sr. Carlos Magno:

Senhores Representantes Sindicais, boa tarde!

Conforme informado na última reunião realizada na SAR, o Grupo Gestor de Governo procederia a novos estudos referentes à  campanha salarial das empresas vinculadas à pasta da Agricultura, todavia, os técnicos do governo ainda não concluíram a análise para submissão àquele colegiado.

Nesse contexto, serve o presente para cientificá-los do andamento dos trabalhos, bem como para informar que, tão logo o GGG conclua os estudos, a SAR convocará reunião com as entidades sindicais para apresentação da definição do governo referente à campanha salarial 2019/2020.  

Cordialmente,
Carlos Magno dos Santos Júnior
Consultor Jurídico
Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural
Tel: (048) 3664-4414   Rede de Governo: 01844414
E-mail: carlosmagno@agricultura.sc.gov.br

Percebemos que nem data definida a Secretaria da Agricultura tem para informar. Como que os trabalhadores podem ficar esperando a vontade do GGG em analisar logo a proposta dos trabalhadores das empresas Epagri, Cidasc e Ceasa aprovada em assembleia ainda no primeiro semestre?

O descaso com nossa base refletem os últimos acordos coletivos onde aprendemos a abrir mão do retroativo da data base, ou seja, o governo tem ciência de que não precisa se apressar porque depois os trabalhadores aceitam pacificamente uma migalha sem os meses referente à data base como já aconteceu.

Temos que nos manter mobilizados e conscientes de que não tem nada de novo nesse governo. A velha tática de enrolação continua.