Erro na Linha: #3 :: Use of undefined constant SEO_TITLE - assumed 'SEO_TITLE'
/home/sindaspi/public_html/site/sindaspisc/header.inc.php
SEO_TITLE

BLOG SINDASPI-SC


26/06/2017 | Eventos

SC: Desvios nas contas e as delações contra governador em debate dia 28 (4ª f) na Alesc

As contas do governador Raimundo Colombo e as delações que recaem sobre ele serão tema de debate nesta quarta-feira, 28, no Plenarinho da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, às 10 horas da manhã.
O evento tem na programação três mesas que vão discutir: - as Contas do Governo Colombo a partir do Relatório do TCE/SC;  - as implicações Jurídicas das delações e desvios nas Contas do Governo; e os efeitos das isenções fiscais cedidas pelo governo e as políticas públicas para a população catarinense na sequência coordenadas por Roberto Ringenberg, que é Procurador do Ministério Público de Contas; Fernando Mazzurana Monguilhot, advogado que elaborou os pedidos de Impeachment protocolados em maio; e Juliano Goulart, economista e doutorando na Unicamp.

O debate é organizado por sindicatos que representam trabalhadores nos serviços públicos estaduais na administração direta e autarquias (Sintespe/SC), na educação (Sinte/SC), na saúde (Sindsaúde/SC),  na Polícia Civil (Sinpol/SC), no setor elétrico na Grande Florianópolis (Sinergia), pela Central Única dos Trabalhadores-SC, pela Federação dos Empregados no Comércio e Federação dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado/SC.

Dia 31 de maio, a maioria do Tribunal de Contas estadual deliberou parecer pela aprovação do relatório das contas, mesmo com 14 irregularidades constatadas pelo relator, e agora o parecer está em tramitação na Comissão de Finanças da Alesc e pode ser  acompanhada por meio deste link: http://www.alesc.sc.gov.br/proclegis/individual.php?id=OF./0158.7/2017


Atualmente, são 35 pedidos de impeachment protocolados no Legislativo estadual que esperam anaálise do presidente da Assembleia Silvio Dreveck para serem analisados pelos deputados, de maioria de partidos da base do governo. Trinta e três deles baseados no desvio de quase hum bilhão de reais em ICMS, arrecadados entre janeiro de 2015 e maio de 2016  pela Celesc e desviados a pedido do governo para o Fundo Social, Fundo que a sociedade catarinense não tem controle algum. 

Se você está insatisfeito com os serviços públicos catarinenses ou simplesmente quer saber mais sobre onde foi investido o dinheiro do Estado, participe!

Saiba mais: 

 Programa A Nossa Voz: Contas do governador são aprovadas com irregularidades pelo TCE