Erro na Linha: #3 :: Use of undefined constant SEO_TITLE - assumed 'SEO_TITLE'
/home/sindaspi/public_html/site/sindaspisc/header.inc.php
SEO_TITLE

BLOG SINDASPI-SC


27/09/2013 | Meio Ambiente

Desastre em São Francisco: Novamente modelo de desenvolvimento põe em risco a vida da população

São Francisco do Sul é uma cidade catarinense famosa por ser uma das três mais antigas do Brasil e dispor de centro cultural da história brasileira muito importante. Além do turismo, também convive com a rotina diária da chegada e saída de navios que atracam num dos mais importantes portos do Sul do Brasil ? o Porto de São Francisco do Sul. É neste porto que se concentram inúmeras empresas exportadoras e importadoras, as quais dispõem de armazéns a fim de carregamento ou distribuição. Este porto, assim como outros é a porta de entrada de insumos utilizados para a formulação de fertilizantes e pesticidas que depois de prontos seguem para o campo brasileiro.

Na noite de terça-feira (24) um incêndio num galpão de fertilizantes da empresa Global Logística, provocou alarme na população. Após o inicio de uma reação química, a qual ainda não se sabe os motivos, gerou uma imensa nuvem de fumaça, colocando a cidade em pânico, visto aos riscos que se expõe.

Dos riscos...

Estes riscos se devem por que o Nitrato de Amônio é oxidante e reage com outros produtos, sendo que quando contaminado com produtos orgânicos ou materiais oxidantes, aquecido, confinado, e ainda sob ação de agentes iniciadores, pode detonar. Além disso, existe risco de ignição ou detonação (explodir) ao expor o produto ao calor e a materiais incompatíveis, ou seja, a outros produtos químicos que devem ficar separados.

            Quando ocorre esta reação química se produz uma enorme quantidade de fumaça (o nitrato de amônio é utilizado para fazer bombas de fumaça, coquetéis Molotov, pólvora e fogos de artifício). Esta fumaça, quando inalada pode provocar uma reação inflamatória nas vias respiratórias e no pulmão, causando inchaço da mucosa da laringe, podendo, conforme a gravidade, ocorrer descamação e necrose da mucosa provocando insuficiência respiratória. Além disso, segundo o professor-doutor do curso de química do Instituto Federal Catarinense de Araquari Rafael Carlos Eloy Dias a exposição pode ocasionar meta-hemoglobina (câncer) ou, em mulheres grávidas, aborto espontâneo e má-formação fetal.

Preocupações...

            Além dos riscos a saúde humana pelo contato direto, quando detonado os gases emitidos neste incêndio químico (reação) se forma compostos potenciais, como o nitrato de amônia (NH3) que provocam danos maiores ao homem e ao meio ambiente. Além disso, existem os riscos secundários, ou seja, a ingestão a partir dos alimentos e água contaminados. Portanto, a preocupação em tranquilizar a população neste momento de pânico, deve ser revertida posteriormente em promover o acesso a alimentos saudáveis e água não contaminada, a fim de garantir a saúde da população.

            Dado os fatos, é sempre depois da ocorrência da tragédia, que se vem a preocupação dos cuidados e riscos que estes produtos nos expõe. O Nitrato de Amônio é largamente utilizado na fabricação de fertilizantes, pesticidas e inseticidas, fabricação de explosivos, entres outros. Neste aspecto cabe destacar que os espaços onde se concentram estes produtos, são verdadeiras bombas, que basta apenas acender o estopim.

            Mas o porquê esta concentração nos portos? O Brasil é um grande importador destes insumos, a fim de formular fertilizantes e pesticidas para suprir a larga escala de consumo exposta pelo setor do agronegócio brasileiro. Já no campo, são utilizados em grandes quantidades em outra formulação, porém que tem impacto direto sobre os microrganismos presentes no solo, destruindo a biodiversidade dos sistemas onde é utilizado, sem a qual não há nem florestas nem campos agrícolas. Portanto, as preocupações com a reações químicas ocorridas no Galpão de São Francisco do Sul aparecem devido a nuvem de fumaça que esta levanta, enquanto o sistema convencional brasileiro joga milhares de toneladas anualmente no ambiente destes produtos.

            Portanto, inicialmente é preciso ser solidário a preocupação das famílias de São Francisco, porém se faz necessário que os governos percebam que o modelo de desenvolvimento agrícola e industrial adotado coloca em risco a vida e a sobrevivência das pessoas, seja no imediato, ou de longo prazo. De imediato pelo risco de fatos como este voltarem a ocorrer e de longo prazo pelo consumo dos alimentos ou da água contaminada e pelos efeitos secundários como o aquecimento da atmosfera - composto agravante do efeito estufa, 273 vezes mais nocivo que o dióxido de carbono - e as mudanças climáticas que estão diretamente ligados ao uso de produtos como o Nitrato de Amônio, que após reagir se torna nocivo ao ambiente.

Questionamentos...

            Por fim, agora cabe ao poder público reparar os prejuízos causados e socorrer a população. Fica a pergunta, quais medidas serão adotadas a fim de evitar novos fatos como este? Olhar-se-á mais profundamente o uso destes produtos químicos e se investirá em programas que fomente um desenvolvimento mais sustentável? Quando se adotar medidas e fomentar programas que busquem um modelo de desenvolvimento sustentado no uso de técnicas mais ecológicas, haverá menos impacto sobre o meio ambiente e consequentemente menos efeitos sobre o clima e se poderá ter um ambiente equilibrado que proporcione harmonia entre homem e natureza.

 

 Fonte: MST - Marcelo Antonio Kehl e Alvaro Santin