Erro na Linha: #3 :: Use of undefined constant SEO_TITLE - assumed 'SEO_TITLE'
/home/sindaspi/public_html/site/sindaspisc/header.inc.php
SEO_TITLE

BLOG SINDASPI-SC


13/05/2016 | Movimentos Sociais

Juventude Sem Terra usa arte para falar de democracia

De 25 de abril a nove de maio, Florianópolis mais de 20 jovens vindos de assentamentos do MST em Santa Catarina estiveram alojados nas dependências do Sindaspi-SC, em Florianópolis, com objetivo de ampliar o debate sobre a atual situação política nacional a partir de intervenções artísticas.  Com apresentações de teatro, de música, de poesia e artes visuais em escolas, universidades, comunidades, nas ruas eles alertaram a população presente nos locais sobre a necessidade do respeito às instâncias democráticas do país, aos direitos relacionados à educação, à questão agrária, à comunicação e gênero.  
 

Sendo a maioria dos jovens bolsista no projeto de extensão Residência Agrária, do curso de formação de agentes culturais da Udesc, aproveitaram a III edição da Jornada Universitária em defesa da Reforma Agrária para participar do Ato em Homenagem ao Dia do Trabalhador, em 1º de Maio, da vigília da vergonha e a vigília em defesa da democracia em frente à Fiesc e à Fecomércio, respectivamente, assim como do escracho em frente à RBS por conta do oligopólio ilegal da mídia, entre outros.


O último dia de atividades contou com apresentação, da peça teatral A farsa da Justiça Burguesa, no IFSC, que faz alusão aos 20 anos do Massacre de Eldorado dos Carajás, no Pará. Em abril de 1996, quando o MST realizava uma caminhada naquele estado, uma emboscada armada por jagunços assassinou 21 sem terra.  De lá pra cá foram mais de 1600 sem terra assassinados no Brasil, alertou Révero Ribeiro, coordenador do Movimento, ao público estudante do Instituto Federal, após a apresentação da peça estreada na Marcha Nacional do MST em abril de 2005.


Keslin Willian, do assentamento Higienópolis em Abelardo Luz, integrante do Coletivo de Juventude do Movimento, diz que o trabalho de agitação e propaganda na capital foi de extrema importância para a formação e fortalecimento o grupo, diante da revoltante conjuntura política atual e que ficou maravilhado em poder trabalhar esses dias com a população da Capital. Para Mariane Gonçalves, do assentamento Roseli Nunes, também naquela região, o que fez a diferença dessa vez se comparada às outras vezes em que fizeram atividades como essas em outras cidades, foram os momentos de formação política e cultural que vivenciaram nos intervalos. 


O Sindaspi-SC é um apoiador do Movimento Sem Terra e da luta pela Reforma Agrária, também por perceber a necessidade do incentivo à agricultura familiar e sustentável para melhores condições de saúde de todos e do planeta, assim como para a distribuição das riquezas. 

O coordenador estadual do Sindicato, Sérgio Ricardo de Lima, no momento de despedida do grupo, salientou que vê-los dividindo tarefas em equipes, exercendo a coletvidade com companheirismo é um aprendizado que levamos, inclusive pras nossas famílias.